Verdades – Expectativas no trabalho, desgosto, o que procurar…e agora José ?

Boa noite pessoal,

Tenho uma experiência profissional relativamente pequena, algo de mais ou menos 5 anos, trabalhando diretamente com projetos WEB, alternando em análise, arquitetura, implementação de casos de uso, performance, reuso, validação, e mais um punhado de coisas.

Desde o meu primeiro emprego/estágio, já me senti desafiado, logo porque sempre estudei e pesquisei coisas para o mundo Desktop, no caso, Java, e a vaga proposta era desenvolvimento PHP. Literalmente me internei no mundo PHP, procurando sempre as melhores soluções e também vindo de carona um mundo de elementos do mundo WEB, como Javascript, design, usabilidade, etc.

Acho que o me desmotivou na primeira vez, acho que nem diria desmotivar, mais sim uma curiosidade de saber se o meu trabalho seria bom em um outro lugar qualquer, o fator dinheiro não me importa muito, embora que nos últimos meses eu venho pensado bastante sobre isso.

Fui acostumado desde o meu estágio em trabalhar em um ambiente puxado, onde as aplicações e serviços tinham de estar funcionando, funcionalidades e migrações tinham que ficar 110% e serem homologadas para ficarem totalmente sem erros, sim! isso é um fator que motiva muito, porque você se esforça ao máximo para fazer isso e depois que você vê o produto gerado sendo utilizado e sendo algo útil aos clientes/usuários envolvidos, é algo gratificador demais, essa é a minha visão.

O que me desmotiva hoje é o fato de que muitas ‘coisas rolam’ de maneira estranha, acho foda particularmente, acho que todo mundo concorda:

  • Questões políticas são uma m**rda;
  • A falta de espírito de equipe…sem comentários (não é com vocês da equipe de desenvolvimento);
  • Não manter um compromisso, prazo acordado;
  • Idolatrar argumentos e decisões de pessoas ‘estratégicas’ ou ‘visionárias’ e usar de base para matar qualquer acordo feito;
  • Não se importar com o que é de uso coletivo (olha a manutenção dos veículos…);
  • Falta de responsabilidade;

O que realmente me incomoda

Vou parar por aqui, senão a lista fica muito grande… Sei que esse post poderá ser um balde de titica no ventilador se ele for parar onde eu imagino, mais não me importo muito, tenho as minhas próprias opiniões, sou homem bastante para mantê-las em qualquer lugar. Desta lista o fator político é o pior. Vim de uma realidade profissional totalmente diferente desta, onde os serviços desenvolvidos eram baseados em definições de requisitos, propostas financeiras e contrato de acordo entre as partes, algo que 98% das empresas usam.

O foco de parceiras entre empresas clientes, parceiros de investimentos e parceiros políticos é complicado, porque já algumas vezes de ser ‘areia no olho’, ou seja, é feito só por ser feito, no final o que importa é o nome destacado de gerentes de projetos, político X, Y,Z, etc. Eu compreendo isso, no mundo político isso é o ‘cacife’ ou a sua forma de mostrar trabalho, é uma alternativa ao funcionário esforçado fazendo com total atenção um trabalho para ser reconhecido pelo seu chefe…

Não gosto de intervenções políticas, sim, isso pode ferrar com muitas opções de trabalho que tentar, mas não me importo, se nada der certo, no fim eu viro pedreiro, trabalho é trabalho não tenho vergonha disso… Intervenções políticas geram muita dor de cabeça, principalmente se você definiu toda uma série de trabalhos, requisitos modelados, prazos de entregas, etc., não gosto de ter que fazer ‘uma versão com uma tela de visualização X para mostrar para o fulano da silva que está visitando a empresa’, muito menos de ter que puxar saco ou babar ovo para outros, desculpe, é isso que eu penso e acho que vou morrer com isso.

Bom e ruim

Neste ano (2011), consegui realizar muitas coisas que eu queria, mas nem todas eram do lado profissional, acho que colaborações memoráveis para a empresa foram poucas, não porque eu não fiz, mas porque simplesmente não foram utilizadas. Não faço propaganda disso, mais tenho um raciocínio rápido e a frente para apresentar soluções e previsão de comportamento, sim! isso é legal só que os mesmos argumentos de sempre (por uma equipe técnica que passa longe dos conhecimentos de usabilidade) afunda essa minha característica.

Sim, acho que é chorar um pouco ‘as pitangas’, por isso o de grandes colaborações externas, o VRaptor 3, tem algumas colaborações no contrib, nada mais, que soluções genéricas e componentizadas que seriam jogadas no lixo, o plugin jQuery para desenho de geometrias, ficou como mais um projeto no github, entre muitas outras que ficaram no meu baú.

Recentemente tive uma conversa com a minha gestora, contei sobre o que sentia, o que acontecia e também sobre o que boa parte da equipe de analistas sentia. Foi uma conversa legal, consegui falar muita coisa do que pretendia, só não foi tudo porque foi meio de surpresa, senão teria falado tudo.

Tenho um modo meio direto de mais, algumas pessoas classificaram como grosseiro, as vezes eu concordo com isso, mais é só o jeito de ser. Na verdade começo a ficar meio arredio quando vejo que está rolando ‘corpo mole’ ou alguém jogando na ‘reta’ dos outros para livrar o seu ou simplesmente jogando a bomba na sua mão e pronto. Já me disseram isso várias vezes, ‘se desapegue…’ mais não consigo, acho que somente eu fico com ‘sangue nos olhos’ quando tentam montar nas minhas costas ou simplesmente me ferrar de algum modo… Se eu continuar tentando conviver com isso, acabaria ficando com um gastrite nervosa ou qualquer uma dessas doenças ou efeitos colaterais do stress.

Fim de contrato, pra onde ir, e agora José ?

Enfim, em outubro agora encerrou o meu contrato e resolvi renová-lo somente até 20/12/11, tinha planos de abrir uma empresa e aplicar alguns projetos que tinha em mente, mais por questões dinheirísticas não vou conseguir fazer, quem sabe uma hora dessas eu consiga, tenho idéias legais, acredite!.

Não fiz nenhum plano para o o ano que vem, mais como não nasci em berço de ouro, para não morrer de fome, vou ter que procurar algo, porque de colaborações externas não se ganha nada infelizmente :|. Dependendo de como as coisas acontecerem, pretendo fazer uma pós e também fazer as certificações Java, que não consegui fazer por falta de grana (acredite, morar sozinho em cidade grana é foda, gasta-se um monte em despesas fixas /).

Considerações

Fico feliz por estar saindo, com a sensação de dever cumprido dentro dos projetos em que participei ou que fui líder, mas por outro lado ficará a saudade do pessoal bom que tem por lá, mas acho que é normal de todo o lugar em que a gente passa (2ª empresa no meu caso).

Uma coisa que levo de regra comigo é que nunca devo terminar alguma coisa de forma ruim, porque nunca sabemos o que o futuro nos espera…quem sabe um dia não estarei buscando uma vaga novamente no mesmo lugar. A minha mãe me disse isto uma vez e sempre levo isso comigo.

Bom pra quem chegou nesse parágrafo, meus parabéns, porque você conseguiu ler um texto chato e que não está muito organizado na sequência que deveria ser. Ainda pretendo fazer mais uns 3-4 posts para melhor definir tudo isto.

 

Acho que é só por enquanto,

Um abraço a todos e fiquem com Deus.

Cotidiano Projetos
  • “se ele for parar onde eu imagino”, imaginei a cena…. e ri pra sempre! aheiuaouiaehahue

    Bora fazer concurso para agente da PF ano que vem então, porque da informática eu to quase largando =).