Review: Linux Mint 13 com Cinnamon

Boa noite pessoal.

Já estou a duas semanas praticamente usando a versão 13 do Linux Mint também conhecida por Maya na compilação 64 bits e neste post vou passar um review básico do que está sendo usar essa nova versão que vem com o Mate e Cinnamon como ambientes gráficos nativos.

Na versão 12 “Lisa” eu estava usando o KDE 4.7 e posso revelar aqui que me habituei bem com ele de um modo geral. Os pontos fortes eram na minha opinião a estabilidade do ambiente e facilidade de customização dos componentes…sem contar os widgets da área de trabalho que eu particularmente acho show.

Prós

Nesta versão nova do Mint, comecei fazendo uma cara estranha para esse tal de Cinnamon, logo porque qualquer coisa que me lembre o Gnome 2 bugado ou então as janelas que sobrepõem as em foco atual me arrepiam. Rodando ainda pelo LiveUSB percebi que esse ambiente gráfico era bem simples e remete bem ao Gnome 2 com recursos do 3, que devido a sua “simplicidade” rodou bem sussegado, não passando dos 400 megas totalmente carregado.

Outro item bacana é que o Cinnamon já vem com várias extensões  e temas, assim não é necessário correr muito por aí, se bem que tem alguns bem bacanas lá pelo Deviantart.

Contras

Acredito que devido ao fato de ser um fork do Gnome-shell, ele já venha com bugs nativos, um exemplo disso que é o famoso bug das janelas de diálogo órfãs. Esse bug em particular é um saco porque se você utiliza o Eclipse para codar diariamente você fica quase louco…um exemplo disso é quando você tem que gerar os getters e setters e ao clicar em OK a janela do diálogo fica sobreposta ao editor de código e mesmo minimizando o Eclipse ela fica ali.

Este bug não me fez desistir “ainda” mas tem uma solução temporária “por um bom tempo“, que é ir nas configurações do Cinnamon e desabilitar os efeitos gráficos, que na minha opinião até fica melhor.

Um outro lance que foi alterado nesta nova versão foi que não tem mais os repositórios com a JVM da Oracle, o que eu particularmente acho estranho e desnecessário. Eu sei que o OpenJDK é pra ter uma compatibilidade forte com a da Oracle, mas isso me deixa um pouco bolado. Por fim esse lance de ter que instalar manualmente a JVM da Oracle me fez aprender a mexer com o update-alternatives, que por sinal é ótimo.

Conclusão

Até o momento estou achando jogo esse tal de Cinnamon, vou tentar aprender mais sobre ele e até talvez estudar de como mexer nos seus CSS’s de estilos :)

Vou finalizando por aqui deixando uma pequena galeria aí. Abraços.

Linux